27 maio 2007

Oficina de Escrita Colaborativa - WIKI

Passos para criar uma página de wiki:

  • Acesse o site http://pbwiki.com
  • Site name: escolha um nome para sua wiki (de preferências sem acentuaçãoe ç, poucas palavras, sem espaços)
  • Escreva seu email
  • Clique em Create my wiki
  • Você pode assistir um vídeos sobre a wiki enquanto aguarda (opcional)
  • Abra o seu email em seu provedor.
  • Verifique se chegou o email de notificação da wiki, abra o email e clique no link com o NOME DE SUA WIKI aceitando a página.
  • Automaticamente abrirá uma página para você colocará
    • password (senha de acesso a página, mas lembre-se: se for página coletiva, coloque uma senha fácil e sem acentuação, com letras minúsculas)
    • What's this wiki for? Selecione no campo a opção educational
    • Agree to our Terms of Service, selecione esta opção de aceitação dos termos de serviço.
    • Logo abaixo tem a opção do modo de edição da página
      • classic editor - para computadores com win95/98
      • New Point and click editor - para winXP
    • Take my to my wiki: clique neste botão para criar a wiki
  • Abrirá sua página para edição, neste momento você já estará logado (log in - entrar e log out - para sair)
  • Na opção Edite page, você pode apagar as orientações e escrever seu texto de apresentação, o mesmo procedimento para as demais páginas. Sempre salve ao sair.
    • Observe que você terá uma barra de ferramentas de edição no superior do campo de trabalho.
    • Para salvar: save
    • Para visualizar antes: preview
    • Para sair sem alterar nada: cancel
  • Utilize o botão coments para deixar seus comentários registrados.
  • Não pode haver duas páginas com o mesmo nome, então cuidado na hora de criar novas páginas!


Página para testes

http://oficinawikifateb.pbwiki.com
email: oficinamenta@gmail.com
senha: cewkmenta



Legislação dos Direitos Autorais





Aqui você vai encontrar dicas e indicação de sites sobre o WIKI. Fique a vontade para acrescentar sugestões.

Tutoriais

Tutorial Wikispaces
Oficina Wiki - Prof.Gisele
Tutorial Wiki - Prof. Gisele
O que é wiki e seu uso
Como usar tabelas no modo Clássico
Tutorial Wikipédia
Manual PBWIKI
Wiki Escolabr
Como criar e organizar melhor sua wiki.

Vídeos

Conheça o Wiki
Wiki
Vídeo sobre inserir imagens

Sites

Escolabr
Wiki Junior
MediaWiki
Wikipédia: A enciclopédia livre
Software livre Brasil
TWikiBrasil
Wikiquote: coletânea de citações
Oficina de Wiki

Pesquisa na internet

  1. Pesquisa na web.
  2. Aprendendo as regras básicas de comportamento na internet com o Netiqueta.

Recursos para wiki, blog, e outros programas em html e php:

Para colocar vídeos no PBwiki:

(Texto retirado do site http://proa-turma04.pbwiki.com/videos)

1 - Crie uma conta no Youtube: http://www.youtube.com
2 - Coloque lá o seu vídeo
3 - Copie o código que fica ao lado direito do vídeo. No quadro "Embed".
4 - Edite a página do Pbwiki onde queres colocar o vídeo.
5 - Clique em "Source" (na barra de ferramentas de postagem) para exibir o código fonte.
6 - Cole o código copiado da página do Youtube no ponto onde desejas colocar o vídeo. Coloque-o entre um
e um < /p>
7 - Salve a página.
(Para slides - crie uma conta no Slideshare - http://www.slideshare.net ; o processo é semelhante)

Exemplo:

Para você inserir este tipo de apresentação, você deverá acessar o site Slideshare

  1. Entre no site http://www.slideshare.net/
  2. Clique em signup no canto superior direito, abrirá uma janela com os campos de cadastro no site.
  3. Email: seu email de contato
  4. Username: nome de acesso
  5. Password: senha
  6. Selecione Terms of use
  7. Clique em Sings of up
  8. Abra seu email e clique no link para confirmar o cadastro
  9. Acesse novamente a página clicando no canto superior direito em login
  10. Agora abrirá a sua página para fazer uploaded dos seus arquivos.
  11. Para inserir em blog ou wiki é só copiar o cógido embed e colocar no modo edição da página que deseja inserir

Exemplo:




Você também pode utilizar a ferramenta Photobucket

O Photobucket é um serviço gratuito que permite o envio de imagens e vídeos e a produção de apresentações/slides de fotos. Ele pode ser útil na criação de webpages e personalização do blog, já que ele fornece o código necessário para a inserção das imagens e vídeos em ambiente on-line.

Veja outro tutorial em Material Didático do GT CETE/SEED-PR.





Veja como pode usar a ferramenta de apresentação de imagens Slide.com:

Oficina de Tecnologia na Educação Ambiental realizada na Fateb no dia 19/05/2007 - Parceria CEWK e FATEB

PROJETO DE APRENDIZAGEM COM ALUNOS DO 4º ANO DO CURSO NORMAL/CEWK - PROF. ROSÂNGELA




OUTROS TUTORIAIS DE PROGRAMAS EDUCATIVOS EM MATERIAL DIDÁTICO



WIKI PARA EDIÇÃO EM WIN98

wiki NA www.escolabr.com



Faça download:

Visitas


Disponível em http://depositodocalvin.blogspot.com/2006/02/calvin-haroldo-tirinha-202.html

Bem vindo a Oficina de Tecnologia na Educação Ambiental

Objetivos:

  • Incluir digitalmente os cursistas nos recursos on-line.
  • Acessar páginas on-line com recursos para a educação ambiental, navegando e fazendo atividades lúdicas.
  • Conhecer o relevo, a vegetação e a distribuição das matas ciliares de nossa região, através do programa google earth.
  • Iniciar o aluno na pesquisa na internet.
  • Levantar dados sobre as ações que cada cidadão pode tomar diante das questões ambientais.
  • Produzir um texto para ser postado no blog de educação ambiental.

Atividades:

  • Apresentação da proposta de atividades para a oficina.
  • Diagnóstico dos principais conceitos sobre educação ambiental dos alunos (explosão de idéias)
  • Aplicar o teste do Planeta Web para ver se somos ecológicos. Faça já o teste
  • Acesso aos links selecionados pelo curso na página http://cewk.pbwiki.com – página da oficina.
  • Observação das necessidades de nossa região em relação ao meio ambiente – Google Earth
  • Produção de um texto sobre as questões discutidas.
  • Acesso a atividades on-line, jogos, brincadeiras, atividades variadas.
  • Postagem do material produzido, posteriormente em blog e wiki
  • Avaliação da oficina.


Nossas discussões da oficina



Se familiarizando com o computador

Se você está experimentando pela primeira vez utilizar os recursos que um computador oferece, sugerimos que acesse o portal da PUC/RIO, ele traz algumas orientações básicas para você aproveitar ao máximo esta tarde de oficina. Acesse o site agora!


Você é ecológico?

Visite o site Planeta Web ou faça já o teste


Veja que vídeo legal!



Vamos navegar pelo Google Earth

  1. Google Earth
    1. Inicie alterando o idioma no campo situado no lado superior direito para "português". Neste site oficial você pode baixar o programa para seu computador gratuitamente.
    2. O Google Earth combina os sofisticados recursos de pesquisa do Google com imagens de satélite, mapas, terrenos e edificações em 3D para colocar informações geográficas do mundo todo à sua disposição.
      1. Voe até a sua casa. Digite um endereço e pressione Iniciar pesquisa para aplicar zoom nesse lugar.
      2. Procure escolas, parques, restaurantes e hotéis. Obtenha instruções de direção.
      3. Incline e gire a visualização para ver edificações e terrenos em 3D.
      4. Salve e compartilhe suas pesquisas e sites favoritos.
  2. Google Maps
    1. Para você ter acesso a todos os recursos do programa de mapas on-line do google, você deve fazer o login, coloque seu nome do email (gmail) e a senha de acesso.
    2. Com o mouse você gira o mapa até encontrar o local desejado, dois cliques com o botão esquerdo aproxima.
    3. Tem a possibilidade de visualizar o mapa, ou imagens de satélite, ou ainda a hibrid (imagem de satélite com os contornos políticos).

O acesso as telas depende da velocidade da conexão da internet, portanto, aguarde até abrir completamente a tela.


Jogos online

  1. Jogos do meio ambiente Ajude a preservar o meio ambiente e decubra informações importantes.
  2. Qdivertido Este site é muito legal, tem jogos, artigos, receitas, charadas e links para outros sites de atividades que envolvem desde a educação ambiental a atividades recreativas.
  3. Revista Recreio online A revista traz muitas atividades, entre jogos, coleções, fique por dentro, atividades; tem links para alunos e professores no site.
  4. Sociedade ponto verde Além de navegar pelo site, acesse o jogo da reciclagem no menu da direita.
  5. Sítio dos miúdos - Jogos e atividades online.
  6. Iguinho - Jogos
  7. Uol Crianças e UOL Bichos



Meio Ambiente e Educação

  1. Programa Parâmetros em Ação - Meio Ambiente na Escola Educação Ambiental nas políticas de formação em serviço de educadores dos sistemas de ensino, propondo uma metodologia de formação continuada em meio ambiente, no segmento de 5ª a 8ª séries do ensino fundamental, de forma interdisciplinar. Disponibiliza os materiais do programa.
  2. Como proteger o meio ambiente gastando menos em sua escola Proposta da Secretaria de Estado do Meio Ambiente de São Paulo que desenvolve a idéia da proteção do ambiente e economia da energia utilizada pelas escolas.
  3. Cidadania Cada vez mais cientes do poder de suas escolhas, consumidores passam a decidir o que levam para casa de olho na responsabilidade ambiental dos fabricantes. Revistas do Portal SESCSP.
  4. EcokidsSite voltado para o público infantil. Por meio do entretenimento, aborda noções de cidadania e desperta o interesse das crianças em conhecer a natureza e o meio ambiente. Traz sugestões de preservação, lista dos animais em extinção, informações sobre a Agenda 21 e o ecossistema, entre outros.
  5. Portal do Meio Ambiente Da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, o site disponibiliza artigos, imagens, fórum de discussão e vídeos.
  6. Planeta orgânico,Meio ambiente e Declaração Universal dos Direitos da Água, em português.
  7. Ambiente Brasil Portal que disponibiliza informações sobre o meio ambiente, organizado por temas através de ambientes para cada assunto específico. Encontra-se textos interessantes na seção "Textos Educativos"
  8. Eco-bio A ECO-BIO está sempre em busca da qualidade total em seus produtos e atendimento.Respeitando sempre o meio ambiente a ECO-BIO trabalha com uma ampla linha de produtos desenvolvidos com a mais alta tecnologia proporcionando assim um resultado satisfatório ao cliente.A Empresa possui uma linha de Produtos Profissionais registrados na ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o que garante total segurança no seu uso.
  9. Pedro MartinelliO fotógrafo Pedro Martinelli dedica seu trabalho à região amazônica, expondo em seu site fotos e informações sobre espécimes da fauna e flora local. A página possui fórum, agenda e notícias sobre preservação do meio ambiente, acompanhados por uma trilha sonora.
  10. Universidade da Água A ONG, que desenvolve projetos e ações de educação ambiental voltados especificamente para a questão da água, disponibiliza em seu site conteúdos sobre reciclagem, legislação, além de cartilha (criada por Ziraldo), dicionário ambiental, etc.
  11. Revista Jogos CooperativosA revista uma seção de jogos cooperativos com o roteiro para o professor aplicar em sala de aula. Você encontra o referencial teórico da Pedagogia da Cooperação e dos Jogos Cooperativos.
  12. RPG e Educação Site com orientações e tudo mais sobre RPG.
  13. Ambiente - tudo sobre o meio ambiente Site legal para crianças, com muitas informações, atividades, por temas, bem colorido, legal de acessar.
  14. Site de projetos para serem desenvolvidos por professores com o acompanhamento da PUC/RIO. Sugerimos a leitura do projeto Meu lugar, minha identidade.
  15. Portal de recursos hídricos para pesquisa escolar - Prossiga. Apresenta os links por ordem alfabética.
  16. Lista de sites sobre Ecologia, Natureza, Reciclagem & Meio Ambiente.
  17. Jogos na web: instrumento de ensino-aprendizagem de educação ambiental no ensino fundamental - artigo


Organizações Governamentais

Ministério do Meio Ambiente
Site do governo federal que disponibiliza material e informações sobre a política nacional do meio ambiente e serviços na área ambiental.

Secretaria de Políticas para o Desenvolvimento Sustentável
Apresenta as políticas desenvolvidas por esta secretaria, além de textos e materiais sobre desenvolvimento sustentável.

Educação Ambiental
Seção do site da Secretaria de Educação Fundamental que disponibiliza os programas e os materiais elaborados pelo MEC para a Educação Ambiental.

Secretaria Estadual do Meio Ambiente
Projetos governamentais voltados ao meio ambiente e educação ambiental. Contém informações sobre como proteger o meio ambiente, quais são áreas de preservação ambiental (APAs) e sobre a qualidade do ar, água, praias, entre outros.

IBAMA
Site do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - IBAMA, órgão vinculado ao Ministério do Meio Ambiente. Disponibiliza projetos, notícias e artigos sobre a questão ambiental.

GEO BRASIL 2002 - Perspectivas do meio ambiente no Brasil
Publicação elaborada pelo IBAMA que aborda as políticas públicas, os aspectos socioeconômicos e culturais, os desafios e oportunidades para o meio ambiente brasileiro.

Áudios sobre Meio Ambiente
meioambiente/meioambiente_capa.htm
Seção do site da Radiobras, empresa vinculada à Secretaria de Estado de Comunicação de Governo, que disponibiliza notícias e artigos sobre tecnologia, ciências e meio ambiente.



Organizações Não Governamentais - ONGs

Agenda 21
Organização não governamental que trabalha com políticas públicas compatíveis aos princípios do desenvolvimento sustentável. Serve como guia para as ações do governo e de todas as comunidades que se preocupam com o meio ambiente.

Revistas, relatórios e documentos
Página do site da Agenda 21 brasileira que disponibiliza publicações e documentos, na íntegra, para download.

Ano Internacional da Água Doce (Em espanhol)
Página do site da ONU que apresenta documentos sobre o Ano Internacional da Água Doce - 2003.

Amazônia
Disponibiliza conteúdo de notícias, imagens, artigos e documentos relacionados à Amazonia.

Greenpeace
Site com informações, dicas, notícias sobre ecologia e meio ambiente e explicações sobre poluentes tóxicos, energia nuclear, Amazônia, oceanos, alimentos transgênicos, além de vários outros temas atuais.

WWF
Projetos, informações, publicações, cadastro no WWF - ONG internacional que atua na defesa do meio ambiente -, além de descrições de biomas como Amazônia, caatinga, Mata Atlântica, entre outros.

Fundação SOS Mata Atlântica
Contém dados que podem ser utilizados em sala de aula. Através de links desta página, chega-se a informações e mapas quantitativos da destruição do meio ambiente.

Portal da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica
Portal elaborado pelo Conselho Nacional da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (RBMA), traz informações detalhadas sobre o bioma, incluindo textos, fotos, mapas e gráficos, além de links para uma série de publicações e informações básicas sobre a Mata Atlântica.

Ecoar para a Cidadania
Informações sobre Educação Ambiental e os programas desse instituto, além de publicações referentes ao tema.

Instituto Socioambiental
O enfoque apresentado neste site é a busca por sustentabilidade socioambiental. Estão disponíveis textos, resumos de notícias e documentações.

As atividades extrativistas e o futuro da Amazônia
Resenha que faz uma análise das atividades extrativistas e discute as perspectivas entre as populações amazônicas. Traz ainda a obra "A floresta em jogo: o extrativismo na Amazônia Central", coordenada por Laure Emperaire.



Legislação

LEMA - Base de Dados de Legislação Ambiental Seção do site do IBAMA que disponibiliza, na íntegra, atos legais, normativos e administrativos, relativos à área de meio ambiente.



No CD da oficina você encontrará:

  1. O programa Google Earth para instalar em seu pc
  2. HQ: programas para produzir histórias em quadrinhos
  3. Softwares para trabalhar com mapas conceituais
  4. Editor de imagens
  5. PDF: programas para ler arquivos em pdf
  6. Vídeos diversos
  7. Imagens de Telêmaco Borba por bairro, do google earth
  8. Mapas temáticos de Telêmaco Borba
  9. Projeto desta oficina

01 dezembro 2006

Software régua e compasso

Você pode baixar o programa do site, disponível a versão 5.1 do programa Régua e Compasso (C.a.R.). Contribuição do Prof. Marco/CRTE Cornélio Procópio

15 novembro 2006

TUTORIAL DO HQ: SALVANDO A HISTÓRIA EM QUADRINHOS COMO IMAGEM

Vamos criar histórias em quadrinhos com o programa Hagaquê, um software gratuíto, que grava os arquivos com uma extensão própria, desta forma propomos uma alternativa de salvar o trabalho dos alunos em formato de imagem.


Para salvar a história em quadrinhos em formato de imagem:

• Abra a sua história e visualize os quadros que deseja copiar:

• Aperte a tecla print Screen do teclado e abra o programa de edição de imagens, como por exemplo PhotoFiltre:

• Selecione com o mouse a área da imagem que deseja copiar.

• Vá na barra de menu Editar > selecione Copiar > volte novamente em Editar e selecione Colar como nova imagem.

• Observe que o programa colou somente a área selecionada:

• Agora vamos salvar esta nova imagem na pasta HQ, com o seu nome e com uma extensão de arquivo chamada JPEG, para podermos postar no blog, em sites da internet, imprimir, utiliza-la em outros programas...

• Este programa tem a opção para você escolher a compressão da imagem (tamanho do arquivo): Sugere-se 70% que ficará está ótimo

Seu arquivo foi salvo com sucesso!

05 novembro 2006

Estudando alternativas metodológicas para alunos com AH/Superdotados


Estamos buscando recursos didáticos para serem trabalhados em sala de aula, publicamos parte do material de pesquisa no blog.

23 outubro 2006

VAMOS CONHECER UM POUCO DO NESTOR?

SITE: OFICINA NESTOR WEB CARTOGRAPHER : Construção de Mapas e Textos
Endereço: http://www.projeto.org.br/nestor/papers.htm
Organizadores: Alexandra Lilavati P. Okada e Gastón Alberto C. Henriquez

Artigos
O ciberespaço e novas relações curriculares: a emergência de universidades virtuais.

  • Edméa Oliveira dos Santos
Paulo Freire: por uma educação para a liberdade
  • Mônica Gardelli Franco
MAPAS - Um guia para construção do conhecimento
  • Alexandra Lilavati P. Okada
EAD no Ensino Superior
  • Ubirajara Carnevale de Moraes e Vera Lúcia Almeida Forbeck
Atividades Pedagógicas
Contos de Fadas
  • Carlos Alves Pereira e Josevânia Fonseca Silva
Produção de Textos com o Uso das Tecnologias
  • Ildacy Rocha dos Santos Anchieta e Rosane Antunes Jorge
SITE: NESTOR: O web browser e o Cartographer
Endereço: http://translate.google.com/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=http://www.gate.cnrs.fr/~zeiliger/nestor.htm&sa=X&oi=translate&resnum=3&ct=result&prev=/search%3Fq%3Dnestor%2Bweb%2Bcartographer%26hl%3Dpt-BR%26hs%3DJ6E%26lr%3D%26client%3Dfirefox-a%26rls%3Dorg.mozilla:pt-BR:official (traduzido)
http://www.gate.cnrs.fr/~zeiliger/nestor.htm (original)
Caracteríticas: informações gerais, exemplos, links para downloads, discussões com links para referenciais teóricos/programas relacionados ao tema, Licença para contato.

Título: WEB maps: um guia para construção do conhecimento em ambientes virtuais de aprendizagem
Autor: Alexandra Lilavati Pereira Okada
Endereço: http://www.abed.org.br/congresso2002/trabalhos/texto01.htm

Site: Colégio Presbiteriano Mackenzie
Endereço: http://www.emack.com.br/info/apostilas/nestor/nestor.php
Características: Disponibilidade para downloads de softwares para construção e estudo (tutorais e textos) de mapas conceituais: Cmap Tools, Nestor, Kidspiration e material para fundamentação teórica

Oficina de nestor
Endereço: http://www.projeto.org.br/mapas/
Profa. Alexandra Lilaváti

Oficina de nestor
Endereço: http://www.nied.unicamp.br/oea/cursos/nestor.html
Profa. Alexandra Lilaváti Pereira Okada.

Título: Cartografia Cognitiva: novos desafios e possibilidades
Autor: Alexandra Okada
Características: Histórico do mapeamento, técnicas e softwares
Endereço: http://cogeae.dialdata.com.br/soft/520/1/1/modulos/texto2.php

Título: Mapeando redes de informação com o uso de software: uma experiência de pesquisa e docência em EAD on-line.
Autor: Alexandra Lilaváti Pereira Okada e Edméa Oliveira dos Santos
Endereço: www.pucsp.br/tead/n2/pdf/artigo2.pdf

Título: Trilha web-map: mapeando informação e construindo conhecimentos
Autores: Saburo Okada, Alexandra Okada, Edméa Santos.
Endereço: http://www.abed.org.br/congresso2005/por/pdf/142tcc5.pdf

Título: Mapeando informação, trilhando e construindo redes de significados: notas sobre uma experiência de pesquisa e docência em educação on-line.
Auores: Alexandra Okada, Edméa Oliveira dos Santos e Saburo Okada.
Endereço: http://www.revistadafaeeba.uneb.br/n23/10ale.htm

19 outubro 2006

Uma das formas mais simples de criar uma wq é em php. Vamos lá...

Inicialmente acesse um site que forneça o serviço em php, como por exemplo:
www.escolabr.com
> menu phpwebquest
> solicite uma conta de usuário
> preencha seus dados pessoais e aguarde liberação via e-mail (de 24 a 48 horas).
> Volte para o site da escolabr, entre com seu login e senha,
> escolha um modelo de wq
> complete os dados iniciais de sua wq, ao lado de seu nome, informe o seu e-mail no mesmo campo, assim os leitores poderão entrar em contato com você
> enviar
> preencha as fichas INTRODUÇÃO, TAREFAS, PROCESSO, AVALIAÇÃO, CONCLUSÃO

Observe a ficha completa de introdução da wq, as demais tem as mesmas configuração, com excessão da ficha processo que possue campos para inserção de links.


Conheça melhor as oções de edição de cada janela, descrição na sequência:


Campo para fazer upload da imagem de seu micro


Salvar
Novo documento
Negrito
Itálico
Sublinhado
Riscado
Alinhado a esquerda
Centralizado
Alinhado a direita
Justificado
Estilo
Formato: no campo de texto, ex: parágrafo, cabeçalho...
Tipo de fonte: modelo
Corpo: tamanho da letra


Recortar
Copiar
Colar
Colar um texto simples
Colar do word
Procurar
Procurar/substituir
Lista não ordenada
Lista ordemada (numerada)
Retirar indentação (diminui recuo)
Indentar (aumenta recuo)
Desfazer
Refazer
Inserir link
Remover link
Inserir/Editar âncora
Inserir referência a imagem externa (você fazer upload do arquivo para o site da escolabr ou de outro site)
Limpeza de código
Ajuda
Editar código html
Inserir data
Inserir hora
Visualizar
Selecionar côr do texto
Selecionar côr do fundo


Inserir uma nova tabela
Propriedades das linhas
Proprieades da célula
Inserir uma linha antes
Inserir uma linha depois
Apagar linhas
Separar células
Juntar células da tabela
Inserir linha horizontal
Remover formatação
Tornar linhs visíveis e invisíveis
Subscrito
Subrescrito
Inserir caracter especial
Emoticons
Inserir/Editar arquivo flash
Inserir/Editar linha horizontal
Imprimir
Direcionamento da esquerda para a direita
Direcionamento da direita para a esquerda
Alterar para modo janela inteira

Faça sua WebQuest em php

18 outubro 2006

Webquest - Tutorial, versão preliminar

Webquest

RESUMO:

Uma metodologia de engajar alunos e professores num uso da internet voltado para o processo educacional, estimulando a pesquisa, a aprendizagem cooperativa, o desenvolvimento de professores, a produção de materiais e o pensamento crítico. Em linhas gerais, uma WebQuest parte da definição de um tema e objetivos por parte do professor, uma pesquisa inicial e uma relação de links selecionados acerca do assunto, para consulta orientada dos alunos.

Estes devem ter uma tarefa, exeqüível e interessante, que norteie a pesquisa. Para o trabalho em grupos, os alunos devem assumir papéis diferentes, como o de especialistas, historiadores, líderes de governo, jornalistas, visando gerar trocas entre eles. Tanto o material inicial como os resultados devem ser publicados na web, on-line.

WebQuest não exige softwares específicos além dos utilizados para navegar na rede, produzir páginas, textos e imagens. Isso faz com que seja muito fácil usar a capacidade instalada em cada escola, sem restrição de plataforma ou soluções, centrando a produção de WebQuests na metodologia pedagógica e na formação de docentes.

As WQ's fornecem direções bastante concretas para tornar possível e efetivo o uso da internet. E isso, na forma e na essência, é uma maneira de praticar uma educação sintonizada com nosso tempo. Conteúdos publicados na Internet, sobretudo os produzidos profissionalmente, refletem saberes e informações recentes. Além disso, são produtos autênticos que fazem parte do dia-a-dia das pessoas.

WebQuests devem ser produtos de professores, não de especialistas ou técnicos. Essa marca da abordagem metodológica criada por Bernard Dodge tem como meta oferecer oportunidades concretas para que os professores se vejam e atuem como autores de sua obra.

Desde que surgiu essa metodologia, estima-se que já foram criados 10 mil WebQuests em todo o mundo. No site da USP encontramos dicas de como montar uma webquest, galeria de WQ’s em várias línguas (e um acervo importante em português) e endereços eletrônicos para quem quiser mais informações sobre WebQuest. (http://www.webquest.futuro.usp.br)

As WebQuests tem a virtude da simplicidade. Podem ser desenvolvidas para alunos da escola elementar à pós-graduação. A medida em que mais e mais recursos aparecem na World Wide Web, será ainda mais fácil planejar atividades que engajam os aprendizes em investigações ativas e com bom uso do tempo disponível.

INTRODUÇÃO:

O Governo do Estado do Paraná está implantando laboratórios de informática, conectados em sistema de fibra ótica, pela Copel, a internet em todas as escolas do Paraná. O sistema denominado Paraná Digital tem por objetivo levar o professor/aluno da escola pública a compartilhar/acessar os conhecimentos produzidos na web. Os projetos de Internet podem fornecer um contexto autêntico em que os alunos desenvolvem conhecimento, habilidades e valores.
Educadores e profissionais da área de tecnologia estão trabalhando com o objetivo de desenvolver novos modos para introduzir a Internet no currículo escolar e compartilhar as informações de ensino pela web, permitindo dessa forma usar a Internet como uma parte integrante das metodologias para ensinar qualquer assunto a qualquer nível de escolaridade.
Hoje é inegável a importância da utilização da Internet no ensino, mas também apresenta alguns problemas na sua utilização nas aulas, opiniões como "os alunos perdem-se na imensidade de informação", ou coisas do gênero "existem muitas páginas de conteúdos inúteis", ou ainda "páginas e páginas de conteúdos repetidos ou similares". Também é normal ouvirem-se afirmações relacionadas com a qualidade e a validade dos documentos encontrados pelos alunos, e que copiam simplesmente para os seus trabalhos.
Muitas outras razões podem ser acrescentadas por quem já usou a Internet em atividades curriculares. A questão principal é importante que os alunos aprendam métodos e técnicas de contornar estes problemas apresentados e a desenvolver capacidades de pesquisar, seleccionar e organizar informação. Desta forma é que propomos esta metodologia de ensino que poderá tornar mais eficiente o uso deste recurso na escola.

Definições

Segundo Bernie Dodge (professor da San Diego State University), definido em 1995 a WebQuest é uma investigação orientada na qual algumas ou todas as informações com as quais os aprendizes interagem são originadas de recursos da Internet, opcionalmente suplementadas com videoconferências, chats, fóruns, correio eletrônico e uso de outros recursos para produção de escritas colaborativas, tais como wiki, blogs, etc., não apenas da web, mas atividades em sala de aula.

Objetivos

  • Modernizar modos de fazer educação, rompendo as fronteiras da aula, ajudando a entender que a escola vai mais além do que as quatro paredes na qual assiste uma aula num determinado horário, que o que aprende dentro da sala de aula o ajuda a entender o mundo, que toda a informação que recebe por diversos meios ao longo do dia formam um conjunto de saberes e conhecimentos que explicam outras realidades e abrem novos e fascinantes caminhos.
  • Garantir acesso a informações autênticas e atualizadas
  • Promover aprendizagem cooperativa, onde as webquests estão fundadas na convicção de que aprendemos mais e melhor com os outros, não individualmente. Aprendizagens mais significativas são resultados de atos de cooperação.
  • Desenvolver habilidades cognitivas
  • Transformar ativamente informações em vez de apenas reproduzi-las. O importante é acessar, entender as informações existentes, analisando-as, tendo em vista uma necessidade, problema ou meta significativa.
  • Incentivar criatividade
  • Favorecer o trabalho de autoria dos professores
  • Favorecer o compartilhar de saberes pedagógicos
Níveis

WebQuest Curtas
O objetivo instrucional de uma WebQuest curta é a aquisição e integração do conhecimento. No final de uma WebQuest curta, o aprendiz terá entrado em relação com um número significativo de informações, dando sentido a elas. Uma WebQuest curta é planejada para ser executada em uma ou três aulas.

WebQuest Longas
O objetivo instrucional de uma WebQuest longa compreende a ampliação e o refinamento do conhecimento. Depois de completar uma WebQuest longa, o aprendiz terá analisado profundamente um corpo de conhecimento, transformando-o de alguma maneira, e demostrando uma intelecção do material com a criação de algo que outros possam utilizar, no próprio sistema (Internet) ou fora dele. Uma WebQuest longa padrão dura de uma semana a um mês de trabalho escolar.

Atributos Críticos

WebQuests de curta ou longa duração são planejadas deliberadamente para fazer o melhor uso possível do tempo do aprendiz. É questionável o benefício da surfagem pela rede sem uma tarefa clara na cabeça; e muitas escolas devem racionar bastante o tempo de conexão dos alunos. Para alcançar esta proposta de eficiência e clareza, as

WebQuests devem conter pelo menos as seguintes partes:

1. Uma introdução que prepare o "palco" e forneça algumas informações de fundo. Um documento, não muito extenso, onde deverá fornecer alguma informação básica e interessante aos alunos. Tenha sempre presente que este documento será eventualmente utilizado por outros professores, que o vão utilizar nas suas aulas com os seus respectivos alunos.

2. Uma tarefa factível e interessante. Uma descrição do trabalho a realizar pelos alunos, que seja interessante e motivadora, mas também exequível, quer em relação ao tempo disponível (previsto), quer em relação ao nível e à maturidade dos alunos.

3. Um conjunto de fontes de informações necessárias à execução da tarefa. Muitos (não necessariamente todos) dos recursos estão embutidos no próprio documento da WebQuest como âncoras que indicam fontes de informação na World Wide Web (a rede mundial de informação conhecida como WWW ou Web) As fontes de informação podem incluir documentos da WWW, especialistas disponíveis via e-mail ou conferências em tempo real, base de dados pesquisáveis na rede, e livros e documentos acessíveis no ambiente de aprendizagem ou trabalho dos participantes. Uma vez que a proposta inclui ponteiros para os recursos, o aprendiz não corre o risco de ficar surfando completamente adernado pelo "Webspace".

4. Uma descrição do processo que os aprendizes devem utilizar para efetuar a tarefa. O processo deve estar dividido em passos claramente descritos. Para que "ninguém se perca" efectue uma descrição das actividades a realizar, os procedimentos a seguir pelos alunos (pode atribuir diferentes papeis para cada elemento do grupo). Construa um catálogo com links, para os sites interessantes que previamente seleccionou e onde os alunos obtêm a informação necessária para elaborarem o trabalho. Divida os links por tema, de acordo com os objectivos pretendidos e com as tarefas a realizar.
Quase toda a informação (recursos) a fornecer aos alunos poderá basear-se na Internet, mas não é obrigatório que seja a única fonte de informação. Os recursos da(s) bibliotecas e o meio local podem ser também bem utilizados neste tipo de projectos.
Não se esqueça!!! O importante é que os alunos interajam com a informação interessante mas, e isto é essencial, que realizem um "produto final" que os leve a formular novas hipóteses, construir novos argumentos, comparar situações e procurar explicações ou soluções criativas, isto é, que os alunos construam novo conhecimento.
É importante que os alunos tenham, durante todo o processo, informação sobre o modo como o seu trabalho será apresentado e valorizado: um relatório, uma apresentação oral com apoio das tecnologias (PowerPoint) a um público definido, uma Homepage ..., uma produção colaborativa em ambientes tipo wiki, ou mesmo postagens em blogs criados com esta finalidade, etc.

5. Alguma orientação sobre como organizar a informação adquirida. Isto pode aparecer sob a forma de questões orientadoras ou como direções para completar quadros organizacionais no prazo, como mapas conceituais ou como diagramas de causa – e – efeito descritos por Marzano (1988, 1992) e Clarke (1990). Construa um documento, a que os alunos tenham acesso logo no início, em que descreve o processo de avaliação do seu trabalho.

6. Uma conclusão que encerre a investigação, mostre aos alunos o que eles aprenderam e, talvez, os encoraje a levar a experiência para outros domínios. Um WebQuest poderá ser sempre um produto inacabado. Poderá estar sempre em fase de reexame. Não seja conclusivo. Deixe as "portas abertas" para outras verdades e facetas do conhecimento. Aproveite a conclusão para propor duas ou três questões, numa outra perspectiva, sobre o mesmo assunto. Deixe alguma reflexão no ar ...

Alguns outros atributos, não tão fundamentais como os seis anteriores, são:

1. As WebQuests são sobretudo atividades de grupos, embora possam ser imaginadas investigações individuais aplicáveis à educação a distância e ao ambiente de bibliotecas.
2. As WebQuests podem ser aperfeiçoadas com elementos motivacionais que envolvam a estrutura básica de investigação, dando aos aprendizes um papel a ser desempenhado (cientista, detetive e repórter, por exemplo), criando uma personalidade fictícia com a qual os participantes deverão interagir via e-mail, e apresentado um cenário dentro do qual os participantes irão trabalhar (o grupo, por exemplo, pode ter recebido uma solicitação do Secretário Geral da ONU sobre o que está acontecendo esta semana na região do Sub-Saara Africano).
3. As WebQuests podem ser planejadas para uma disciplina ou podem abranger uma abordagem multidisciplinar. Uma vez que as abordagens multidisciplinares são um desafio maior que o trabalho numa única área, talvez convenha começar por esta última alternativa até reunir mais experiência para trabalhos compreensivos.

Como criar uma WQ

Não há uma fórmula pronta para a criação de produtos nos moldes da proposta metodológica sugerida por Bernie Dodge e Tom March. Mesmo assim, aponta-se aqui um possível caminho cujas fases são:

1. Defina tema e fontes
2. Delineie a tarefa
3. Determine as fontes
4. Estruture processo e recursos
5. Escreva a introdução
6. Escreva a conclusão
7. Finalize a primeira versão
8. Revise sua WebQuest

1. Defina tema e fontes

WebQuest é uma investigação cujas fontes são, sobretudo, informações veiculadas no ciberespaço. Assim, a primeira coisa a fazer é planejar conteúdos de saber que possam ser aprendidos com o apoio de recursos existentes na rede mundial de computadores. Mais concretamente, para definir o tema você deve:

  • Escolher um assunto cujo desenvolvimento pode melhorar suas aulas, que seja atual.
  • Situar o assunto escolhido no currículo. Não se esqueça que é uma proposta que apela ao trabalho em colaboração dentro da sala de aula, e ao desenvolvimento de capacidades mais importantes do que conhecimentos factuais, como a tomada de decisões, as comparações, a avaliação, a argumentação, etc
  • Planejar uma abordagem que crie interesse.
  • Assegurar-se de que há fontes suficientes (e adequadas à sua clientela alvo) no espaço Web.
  • Procure escolher um tema/tópico com alguma complexidade. Depois de escolhido, analise-o, dividindo-o em sub-categorias e identifique relações com outros temas/tópicos, preocupações, controvérsias e diferentes perspectivas e opiniões sobre ele.
O primeiro passo para um docente aprender a ser um planejador de WebQuest é o de familiarizar-se com os recursos disponíveis "on line" na sua própria disciplina.

2. Delineie a tarefa

O modelo criado pelo Prof. Bernie tem em comum com a pedagogia de projetos a crença de que devemos saber para fazer e não apenas saber por saber. Por essa razão, a alma de uma WebQuest é a Tarefa. Se você criar uma tarefa mal definida, sua WebQuest não será um desafio capaz de entusiasmar os estudantes. Assim, no processo de planejamento, convém dedicar bastante tempo e os melhores esforços no desenho de uma tarefa impactante, desafiadora, motivante. Criar tarefa com essas características exige sobretudo clareza, compreensão de como funcionam nossas habilidades cognitivas, e muita criatividade.
Fuja do convencional. Esqueça o que você faz normalmente na sala de aula. Imagine trabalhos que os alunos possam produzir e que, ao mesmo tempo, sejam situações dos fazeres cotidianos da vida em sociedade.
Discutir suas idéias com companheiros, professores ou orientadores.
Teste suas idéias. Exponha-as para ver como as pessoas reagem. Busque auxílio. Troque idéias. Tudo isso pode enriquecer seu trabalho.
Determinar algo que seja factível e claramente relacionado com fazeres da vida.
Não se esqueça que as potencialidades da internet residem na possibilidade dos alunos interagirem com informação do "mundo real".
Esta é uma fase em que vai "misturar tudo", e tomar decisões tão criativas quanto realistas. O tempo (a possibilidade dos alunos conseguirem realizar as actividades em tempo útil) e a motivação a fornecer aos alunos são factores cruciais a ter em atenção.
Sua tarefa deverá ser algo que os alunos possam fazer. Outro cuidado: escolha coisas que acontecem ou podem acontecer no mundo em que vivemos. Se possível, evite coisas muito escolares como seminários, palestras, questionários etc.

2.1 Classificação das tarefas

2.1.1 Tarefas de Recontar

Algumas vezes vocês irão pedir aos alunos para que estes absorvam alguma informação e depois demonstrem que a entenderam. As pesquisas indicam que essas atividades arroz-com-feijão não representam grande ganho em termos educacionais, mas podem ser uma introdução fácil ao uso da Web como uma fonte de informação.

2.1.2 Tarefas de Compilação

Uma tarefa simples para os alunos é a de retirar informações de diversas fontes e colocar tais informações dentro de um mesmo formato.
Idealmente, uma tarefa de compilação familiariza os alunos com um corpo de conteúdos e dá aos estudantes a oportunidade de prática ao requerer escolhas seletivas e explicações, assim como organização, divisão em pequenos segmentos, e paráfrases sobre informações diversificadas oriundas de diferentes fontes.

2.1.3 Tarefas de Mistério

Todo mundo gosta de mistérios. Algumas vezes, um bom modo de conquistar os alunos num tópico é o de colocar o conteúdo na forma de um desafio ou história policial. Isso funciona bem na escola fundamental, mas pode também ser utilizado em todos os outros níveis de ensino.

2.1.4 Tarefas Jornalísticas

Há algum evento específico que tenha grande relação com aquilo que seus alunos devem aprender? Uma maneira de desenhar uma WebQuest, nesse caso, é pedir a seus alunos para agirem como repórteres cobrindo o evento. A tarefa envolve reunir fatos e organizá-los de forma similar aos gêneros jornalísticos de apresentação das notícias. Ao avaliar resultados, o importante, nesse tipo de tarefa, é a fidelidade aos acontecimentos, não a criatividade.

2.1.5 Tarefas de Planejamento

De acordo com o dicionário Webster, planejamento "é um plano ou protocolo para executar ou realizar alguma coisa". Uma WebQuest voltada para tarefa de planejamento requer dos alunos a criação de um produto ou plano que atinja uma meta pré-determinada e funcione dentro de certos limites.

2.1.6 Tarefas de Produtos Criativos

Os alunos podem aprender o conteúdo que você pretende ensinar reapresentando-o na forma de um poema, de um conto, de uma pintura? Assim como engenheiros e designers, os artistas trabalham dentro de certos limites próprios. Tarefas de produtos criativos levam à produção de um certo formato (pintura, peça de teatro -drama ou comédia, diário simulado, poster, jogo, canção etc.), mas são muito mais abertas e imprevisíveis que tarefas de planejamento. Os critérios de avaliação para as tarefas em foco devem enfatizar a criatividade e auto-expressão, assim como traços específicos para cada gênero escolhido.

2.1.7 Tarefas de Construção de Concenso

Alguns tópicos são controversos. As pessoas discordam por causa de diferenças entre os seus sistemas de valores, por causa daquilo que elas aceitam como factualmente correto, por causa daquilo a que foram expostas, por causa da natureza de sua metas mais importantes. Neste mundo imperfeito, é útil expor futuros adultos (ou mesmo adultos já criados) a algumas situações que lhes darão certa prática no encaminhamento de diferenças. Tarefas de construção de consenso visam a isso. A essência de tais tarefas é a exigência de articular, considerar e acomodar diferentes pontos de vista onde for possível. Para o bem ou para o mal, os eventos atuais da história corrente oferecem muitas oportunidades para a prática.
Uma tarefa de construção de consenso bem planejada irá:

  • envolver os aprendizes na consideração de diferentes perspectivas a partir do estudo de diferentes conjuntos de recursos;
  • basear-se em diferenças de opinião autênticas, realmente assumidas por alguém em algum lugar fora da sala de aula;
  • basear-se em matérias de opinião e fatos, não apenas fatos;
  • resultar no desenvolvimento de um relatório consensuado que tem uma audiência (real ou simulada) e é criado num formato análogo a algo que pode ser encontrado fora da sala de aula (por exemplo: um livro branco de políticas, uma recomendação para algum órgão de governo, um convênio geral entre duas instituições - memorandum of understanding)
2.1.8 Tarefas de Persuasão

Há pessoas no mundo que não concordam com você. Estão erradas, é claro. Por isso é util desenvolver habilidades de persuasão. Uma tarefa de persuasão vai além de um simples recontar, requerendo dos alunos o desenvolvimento de um caso convincente baseado naquilo que eles aprenderam. Tarefas de persuasão podem incluir uma apresentação para uma câmara de veradores ficcional, ou num juri também ficcional, uma carta, um editorial, um press-release, a produção de um poster ou de uma peça de propaganda em VT destinada a passar uma opinião.

2.1.9 Tarefas de Auto-conhecimento

Algumas vezes a meta de uma WebQuest pode ser um maior entendimento de si próprio, um entendimento que pode ser desenvolvido por meio de uma exploração apoiada em recursos on e off line. Há poucos exemplos desse tipo de tarefa, talvez porque o auto-conhecimento não é algo muito presente nos currículos escolares.

2.1.10 Tarefas Análitica

Um aspecto do entendimento é o conhecimento de como as coisas se articulam, e de como as coisas dentro de um tópico se relacionam umas com as outras. Uma tarefa analítica oferece um espaço para o desenvolvimento de tal conhecimento. Em tarefas analíticas, os alunos são desafiados a olhar mais claramente as coisas, e a encontrar semelhanças e diferenças. Podem ser desafiados a identificar relações de causa e efeito entre variáveis, e a discutir o significado de tais relações.

2.1.11 Tarefas de Julgamento

Avaliar algo requer um nível de entendimento deste algo, assim como entendimento de algum sistema para julgar as coisas de modo adequado. Tarefas de julgamento apresentam certo número de itens para os alunos e pede-lhes para ranquear os tais itens, ou tomar uma decisão bem informada desde um número limitado de escolhas.

2.1.12 Tarefas Científicas

O método científico está por trás da tecnologia que leva à leitura dessas palavras. A ciência permeia nossa sociedade e é importante que nossas crianças (ou qualquer cidadão adulto) entenda como a ciência funciona, mesmo que elas não vistam um avental branco e usem uma prancheta de mão.
O espaço Web traz história e atualidades para nossas casas, e alguns dos dados que nos chegam podem oferecer oportunidade para a prática de ciência de verdade.

3. Determine as fontes

Você já sabe que as fontes preferenciais de informação devem ser recursos disponíveis na Internet. Sabe também que, no âmbito do tema escolhido, há material suficiente (e adequado para a clientela) no espaço Web. Chegou a hora de peneirar esses recursos para ficar apenas com aquelas referências que você acha que vai utilizar em sua WQ. Talvez seja conveniente resolver se será necessário utilizar recursos offline. Para tanto, você deve:

  • Examinar os endereços Web já selecionados.
  • Verificar se há mais endereços que valha a pena considerar.
  • Peneirar tudo e ficar apenas com aquilo que realmente interessa.
  • Julgar conveniência ou necessidade de utilizar fontes não disponíveis na Internet (livros, revistas, folhetos, artigos, discos, vídeos etc.)
  • Estabelecer a lista de recursos (on e off line) que você acha adequada para a consecução da Tarefa.

Mecanismos Nacionais:

Cadê
Radar UOL
Yahoo Brasil
Aonde ?
Onde Ir
Guia Web
Argos
Vai & Vem

Mecanismos Internacionais:

AltaVista
Yahoo
Lycos
Go.com
Excite
HotBot
Click and Search
Matilda
Web Crawler
Google

4. Estruture processo e recursos

Agora é preciso elaborar o roteiro que irá ajudar seus alunos a obterem bons resultados na Tarefa. Lembre-se de que o Processo é uma espécie de receita, indicando passo a passo a direção que os alunos deverão seguir. Outra coisa: os recursos que você selecionou serão apresentados na medida que os alunos deles necessitarem. Não há, obviamente, uma única forma de estruturar Processo e Recursos, mas as indicações que seguem refletem modos de fazer de muitos produtores de WQ's. Na estruturação de Processo e Recursos, convém:

  • Especificar expectativas quanto ao trabalho em grupo.Como regra, WebQuests são processos investigativos conduzidos por um grupo. O modo de trabalhar das equipes a serem constituídas dependerá da natureza da tarefa, de particularidades que você acha interessantes, de dinâmicas que você acha adequadas para sua WQ. Por isso é importante que você estabeleça com clareza como o grupo deve ser constituído, como a dinâmica deverá ocorrer etc.
  • Definir papéis dos componentes do grupo quando for o caso. Na maioria das WebQuests, a Tarefa exige visões diferentes do problema. Geralmente isso é representado por papéis característicos cuja representação garante estudos baseados em diferentes olhares. É por essa razão que convém definir bem as características de cada papel ou personagens que você criar.
  • Estabelecer os passos a serem seguidos no estudo das fontes (Recursos) e na elaboração do produto ou produtos resultantes da Tarefa.
Não se esqueça!!! O importante é que os alunos interajam com a informação interessante mas, e isto é essencial, que realizem um "produto final" que os leve a formular novas hipóteses, construir novos argumentos, comparar situações e procurar explicações ou soluções criativas, isto é, que os alunos construam novo conhecimento.
É importante que os alunos tenham, durante todo o processo, informação sobre o modo como o seu trabalho será apresentado e valorizado: um relatório, uma apresentação oral com apoio das tecnologias (PowerPoint) a um público definido, uma Homepage ... etc.
Para os recursos construa um catálogo com links, para os sites interessantes que previamente seleccionou e onde os alunos obtêm a informação necessária para elaborarem o trabalho. Divida os links por tema, de acordo com os objectivos pretendidos e com as tarefas a realizar.
Quase toda a informação (recursos) a fornecer aos alunos poderá basear-se na Internet, mas não é obrigatório que seja a única fonte de informação. Os recursos da(s) bibliotecas e o meio local podem ser também bem utilizados neste tipo de projectos.

5. Escreva a avaliação:

Construa um documento, a que os alunos tenham acesso logo no iníco, em que descreve o processo de avaliação do seu trabalho. Sugerimos várias formas de auto-avaliação a serem utilizadas nas WQ:



5. Escreva a introdução

Você já tem uma boa idéia do que os alunos irão fazer. Já estruturou uma sugestão de como fazer que, certamente, irá ajudar os aprendizes a elaborarem certos saberes. Chegou a hora de elaborar a Introdução. Nessa parte de sua WQ, você deve:

  • Escrever um texto dirigido à sua clientela: Converse com seu público. Seja direto. Use linguagem clara e compreensível.
  • Motivar os clientes de sua WQ: O texto de sua introdução deve funcionar como aqueles pequenos trechos que acompanham manchetes de jornais: diretos, instigantes, envolventes, motivantes.
  • Ser breve: Como regra geral, introduções são textos de um ou dois pequenos parágrafos. Muito raramente a Introdução poderá ser algo mais incorporado.
  • Evitar didatismo: Muita gente escreve introduções como se estas fossem a primeira parte de livros didáticos tradicionais. Entre outras coisas, dão explicações etimológicas, resumem o que vai ser apresentado, contam alguma história exemplar. Essa é uma prática centrada no assunto, não nos leitores. Fuja desse modo tradicional de escrever introduções.
6. Escreva a conclusão

À semelhança da Introdução, a Conclusão deve ser algo claro, breve e simples. Para concluir sua WQ convém seguir uma ou mais das seguintes direções:

  • Reafirmar aspectos de interesse registrados na Introdução.
  • Realçar a importância daquilo que os alunos aprenderam.
  • Apontar caminhos que podem ajudar os alunos a continuarem estudos e investigações sobre o tema.
7. Finalize a primeira versão

Sua WebQuest está praticamente pronta. Basta agora revisar texto, escolher uma ou outra imagem para embelezar a sua obra etc. Se você é marinheiro de primeira viagem e não conta com auxílio de pessoas que entendem de editores Web e/ou HTML, use o espaço www.escolabr.com – Webquest

8. Revise sua WebQuest

Antes de considerar pronto o seu trabalho, convém testá-lo de alguma forma. Você pode fazer isso com um pequeno grupo de alunos; ou pode pedir que dois ou três colegas seus avaliem sua obra.

Pelo menos dois aspectos são relevantes em investigações mais longas

Que processos de pensamento são requeridos para criá-las, e que forma elas assumem uma vez criadas.

Uma investigação WebQuest longa requer, entre outras, as seguintes habilidades de pensamento (cf. Marzano, 1992):

1. Comparar – Identificar e articular similaridades entre as coisas.
2. Classificar – Agrupar coisas em categorias definíveis com base em seus atributos.
3. Induzir – Inferir generalizações ou princípios desconhecidos desde observações ou análises.
4. Deduzir – Inferir conseqüências e condições não explicitadas desde dados princípios ou generalizações.
5. Construir Apoio – Construir um sistema de apoio ou de prova para uma afirmação.
6. Abstrair – Identificar e articular o tema ou padrão subjacente da informação.
7. Analisar Perspectivas – Identificar e articular perspectivas pessoais sobre um assunto.

As formas que uma investigação, WebQuest longa, pode assumir estão abertas à imaginação, Eis aqui algumas idéias:

1. Uma base de dados pesquisável dentro da qual as categorias em cada campo foram criadas pelos aprendizes.
2. Um micromundo, representando um espaço físico, que possa ser navegado pelos usuários.
3. Um estória interativa ou um "case study" criados pelos aprendizes.
4. Um documento que descreve uma análise de uma situação controversa, assumindo uma posição e convidando os usuários a concordar ou discordar dela.
5. Uma personagem que pode ser entrevistada "on line". As perguntas e respostas deverão ser geradas por aprendizes que estudaram profundamente a personagem.

Colocar os resultados dos processos de pensamento dos aprendizes na própria Internet é providência que alcança três __finalidades__:

- faz com que os aprendizes estejam focados numa tarefa "hi-tech";
- dá aos aprendizes uma audiência para a qual algo deve ser criado;
- abre a possibilidade de obtenção de "feedback" de uma audiência distante por meio de e-mail inserido no documento WWW.

Softwares que podem ser usados na criação de uma webquest

Você poderá hospedar seu trabalho na web utilizando servidores gratuítos como é o caso de sites grátis em linguagem html, podendo utilizar o NVU, Frontpage, Dreamweaver, Mozila Composer, etc; ou poderá hospedar em sites com a linguagem PHP, como o da www.escolabr.com, onde já existe um banco de dados disponível para hospedagem e orientações básicas para os professores, com tutoriais e videoaulas; também é possível criá-la em um blog, com links para várias páginas ou com uma postagem para cada etapa da webquest (tem possibilidade de utilizar o campo comentarios, havendo interação entre os participantes).

LINKS

The WebQuest Page at San Diego State University
Página de Bernie Dogde que têm artigos, exemplos de WebQuest, materias de recursos para a produção de WebQuests.
http://edweb.sdsu.edu/webquest/taskonomy.html

Yahoo Groups WebQuest
Fórum do Yahoo Groups para a discussão de idéias, problemas, soluções etc da metodologia WebQuest. A lista é um suplemento da WebQuest Page da San Diego State University, mantida por Bernie Dogde, criador da metodologia.
groups.yahoo.com/group/webquest/

Eduteka
Está no ar mais um site sobre WebQuests. Desta vez, a boa nova vem da Colômbia. O portal Eduteka, mantido pela fundação Gabriel Piedrahita Uribe, incluiu entre seus serviços a divulgação de materiais que podem auxiliar educadores interessados em usar o modelo criado por Dodge e March.
www.eduteka.org

Artigo original de Bernie Dodge, traduzido por Jarbas Barato
O artigo define WebQuest, as partes mínimas e os atributos necesários para a composição de uma webquest e os passos para o planejamento de uma webquest.
www.divertire.com.br/artigos/dodge1.htm

Instituto de Inovação Educacional do Ministério da Educação de Portugal
O site possui um conjunto de documentos sobre WebQuests, informações teóricas, exemplos de webquests e produção de webquests de professores portugueses.
www.iie.min-edu.pt/proj/actividades/webquests/sites.htm

Introduction to Webquests - SENAC
Relação de referências de workshop realizado por Bernie Dodge no Senac/sp, em 2000.
edweb.sdsu.edu/webquest/senac

History of the Computer WebQuest, quem sabe mais sobre história na "Era da Informática?"
Referência a WQ's sobre história em Web.Historia (site brasileiro).
www.webhistoria.com.br/arqeduc7.html

Curriculum Quest
Informação sobre uma forma de organização curricular, provavelmente influenciada pelo modelo WQ.
www.yarden.ac.il/chinuch/english/curriculumquest3.htm

Que es WebQuest
Seção de um site do Ministério da Educação de Espanha. Contém uma breve introdução sobre o que é WebQuest.
www.pntic.mec.es/mem/ecomec/pr01.htm

SUGESTÃO DE LINKS PARA ESTUDO, ELABORAÇÃO E PUBLICAÇÃO DE WEBQUEST

Endereço: http://www.webquest.futuro.usp.br/
Título: WebQuest: aprendendo na internet
Instituição/Autor: Projeto USP
Resumo: A página ensina o que é como criar uma wq, apresenta textos, artigos e galeria de wq. Reconhecido por Bernie Dodge, criador da metodologia

Endereço: http://webquest.sp.senac.br/
Título: WebQuest
Instituição/Autor: SENAC – São Paulo
Resumo: A página ensina o que é, como elaborar, apresenta depoimentos de professores, sugere links como referência, além de uma lista de wq classificada por áreas.

Endereço: http://www.livre.escolabr.com/ferramentas/wq/
Título: Escolabr
Instituição/Autor: Eziquiel Menta
Resumo: Apágina apresenta várias instruções para a construção da wq, inclusive com vídeo-aulas, além de abrir espaço para a construção e publicação de wq e mini wq, com um sistema de busca rápido, tais como a série e a disciplina.

Endereço: http://www.educarede.org.br/educa/img_conteudo/tecnologia4.html
Título: Revista Educarede: Especiais
Instituição/Autor: Fundação Telefônica na Espanha e na América Latina.
Resumo: Reportagem sobre o “Novo método orienta pesquisa na internet”

Endereço: http://www.vivenciapedagogica.com.br/?q=wq
Título: Vivência Pedagógica
Instituição/Autor: Mary Grace Martins - Editora do site Vivência Pedagógica
Resumo: A página apresenta um breve resumo sobre wq e uma lista de links interessantes sobre wq, listas de discussão, uma wq de wq e sugestões.

Endereço: http://www.aypwip.org/webnote/usodowebnote
Título: Webnote
Instituição/Autor: tony@ponderer.org
Resumo: Webnote é uma ferramenta para fazer exame de notas em seu computador. Permite que você escreva rapidamente algo para baixo durante uma reunião, classifica-o, ou toda a outra hora que você tem um web browser disponível.

Endereço: http://www.iep.uminho.pt/aac/diversos/webquest/
Título: WebQuest: um desafio aos professores para os alunos
Instituição/Autor: Ana Amélia Amorin Carvalho http://www.iep.uminho.pt/aac/frmindex.htm
Resumo: Este site disponibiliza informação sobre WebQuests, que são actividades contextualizadas e motivadoras, disponibilizadas na Web, propostas por professores para serem resolvidas colaborativamente por um grupo de alunos. Ensina a construção passo a passo.

Endereço: http://www.crb.g12.br/webquest.php
Título: Colégio Rio Branco - Webquest
Instituição/Autor: Fundação de Rotarianos de São Paulo
Resumo: O Colégio Rio Branco propõe com o uso da WebQuest despertar no aluno a curiosidade para a busca de informações com o uso da Internet de forma investigativa, utilizando os recursos tecnológicos disponíveis. A WebQuest possibilita a integração das disciplinas por meio dos projetos de trabalho das diversas áreas do conhecimento. Trata-se de uma ferramenta de apoio de pesquisa e aprendizado, além de instrumentalizar o aluno a utilizar a Internet de forma a agregar conhecimento. Disponibiliza oito wq bem elaboradas.

Endereço: http://www.abed.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?UserActiveTemplate=4abed&infoid=110&sid=124
Título: WEBQUEST: Protótipo de um Ambiente de Aprendizagem Colaborativa a Distância Empregando a Internet
Instituição/Autor: ABED
Resumo: Artigo: A aprendizagem colaborativa pode ser definida como um conjunto de métodos e técnicas de aprendizagem para utilização em grupos estruturados, assim como de estratégias de desenvolvimento de competências mistas (aprendizagem e desenvolvimento pessoal e social), onde cada membro do grupo é responsável, quer pela sua aprendizagem quer pela aprendizagem dos demais elementos.Este trabalho tem por finalidade apresentar um protótipo de ambiente de aprendizagem colaborativa a distância, empregando a internet, baseado na Pedagogia de Projetos, onde os professores têm a possibilidade de disponibilizar seus projetos para os alunos, bem como os alunos podem encaminhar para os professores seus trabalhos .Permeando o ambiente existe a possibilidade do professor se comunicar com os alunos por intermédio de um mural e/ou pelo chat.

Endereço1: http://www.microsoft.com/brasil/educacao/parceiro/webquest_final.mspx
Título1: Você sabe planejar suas aulas usando internet?
Endereço 2: http://www.mozilla-world.org/pt-BR/products/firefox/start/central.html
Título 2: A “WebQuest” (Web Aventura) como meio de aumentar os conhecimentos de seus alunos.
Instituição/Autor: Microsoft
Resumo: Artigo sobre wq

Endereço: http://baixaki.ig.com.br/site/detail13490.htm
Título: AAADBS WebQuest
Instituição/Autor: AAA DataBase Solutions
Resumo: O WebQuest permite-o montar um sistema de coleção de dados numa plataforma ASP rapidamente e com o mínimo esforço. Gratuito para testar (U$54)

Endereço: http://www.colegiodante.com.br/content/cat20040802_40/new20050301_476/view
Título: WebQuest
Instituição/Autor: Colégio Dante Alighiere
Resumo: Galeria de WQ para educação infantil, fundamental e médio. São bem escritas e montadas, observei a de Filosofia.

Endereço: http://www.centrorefeducacional.com.br/webques.htm
Título: WebQuest: saiba mais!
Instituição/Autor: Vera Lúcia Camara Zacharias. Centro de Referência Educacional.
Resumo: Texto explicativo sobre WQ, simples e completo, com links.

Endereço: http://www.ese.ips.pt/abolina/webquests/quest/index.html
Título: Webquest
Instituição/Autor: Escola Superior de Educação de Setúbal
Resumo: wq de wq

Endereço: http://br.buscaeducacao.yahoo.com/mt/archives/2005/07/conheaa_o_matod.html
Título: Conheça o método WebQuest
Instituição/Autor: Yahoo busca educação
Resumo: Jarbas Novelino Barato é um dos professores que mais divulga no Brasil uma metodologia considerada uma jóia do ensino com tecnologia. O Webquest (tradução literal: busca na web) é um sistema para propor tarefas educacionais com auxílio da Internet. Nessa entrevista, o professor conta mais sobre o assunto.

Endereço: http://www.doaluno.com.br/servicos/webquest/webquest.asp
Título: Tecnologia na Educação: WebQuest
Instituição/Autor: Edutec
Resumo: A página apresenta orientações para elaboração de webquest e índices de wq para o Ensino Fundamental fase I e II e Ensino Médio

Endereço: http://www.prof2000.pt/prof2000/agora7/agora4.html
Título: Ágora
Instituição/Autor: Ministério da Educação/DREC, Escolas de todo o País e Centros de Formação.
Resumo: Edição sobre As TIC na sala de aula, em especial a wq. Apresenta uma nova nomeclatura: Websurf, veja em http://www.prof2000.pt/users/folhalcino/tec_educ/websurf/teoria/prof.htm

Endereço: http://www.link.estadao.com.br/index.cfm?id_conteudo=3817
Título: Educação sem internet? Só no monastério
Instituição/Autor: Eduardo Nicolau
Resumo: Entrevista com Bernie Dodge

Endereço: http://www.netkids.com.br/v4.0/arquivos/webquest/oquee.asp
Título: Webquest
Instituição/Autor: MARIA APARECIDA VIANA
Resumo: Ensina a elaborar, escolher e apresenta uma galeria de wq de Escolas Adventistas.

Endereço: http://www.ufrgs.br/tramse/blogquests/2004/11/inditos.htm
Título: Blogquests
Instituição/Autor: Suzana Gutierrez
Resumo: Uma blogquest, uma webquest adaptada para ser construída num blog. A autora apresenta passo a passo a construção da wQ em publicação de blog.

Endereço: http://blogquest-memoria.blogspot.com/ e
http://webquesst.blogspot.com/
Título: Bloquest: memória e projetos
Instituição/Autor: Não apresenta
Resumo: Exemplo de bloquest

Enereço: http://aparecida.pro.br/fejal/apresentacao.asp
Título: Webquest
Instituição: Frejal
Resumo: Texto sobre webquest

LITERATURA

Titulo: Guia do Professor para a internet: completo e fácil
Autores: Ann Heide e Linda Stilborne
Editora: Artmed, Porto Alegre, 2000
Resumo: No capítulo: Trazendo a Word Wide Web para a sala de aula, o autor apresenta a metodologia da WebQuest, sugere 10 sites para alunos. Os elementos para construção de WQ, dicas, idéias para tarefas, recursos, exemplo de WQ, notas para o professor (orientações pedagógicas), em enfoque colaborativo.

Referências

  1. CLARKE, J. H. (1990). Patterns of thinking: Integrating learning skills in content teaching. Needham Heights MA: Allyn and Bacon.
  2. MARZANO, R. J., Brandt, R.S., Hughes, C.S., Jones, B. F., Presseisen, B, Z.,Rankin, S. C., & Suhor, C. (1988). Dimensions of thinking: A framework for curriculum and instruction. Alexandria VA: Association for Supervision and Curriculum Development.
  3. MARZANO, R. J. (1992). A different kind of classroom: Teaching with dimension with dimensions of learning. Alexandria VA: Association for Supervision and Curriculum Development.
  4. BARATO, Jarbas Novelino (trad). WebQuests: A Technique for Internet – Based Learning, v. 1, n. 2, 1995
Bernie Dodge (bdodge@mail.sdsu.edu) ensina na San Diego State University desde 1980. Ele criou em 1982 uma das primeiras BBS's dedicadas aos professores e que se tornou mais tarde parte da rede FrEdMail. O Professor Dodge desenvolveu diversos softwares que estão no mercado, incluindo PLANalyst, uma ferramenta para a criação de lições. Seu projeto mais recente é Irrawady, um ambiente de escrita que capacita crianças (e estudantes de pós-graduação) a criar estórias interativas e simulações na World Wide Web. Bernie recebe com muito prazer comentários e contribuições sobre WebQuests.

12 outubro 2006

Conferência on-line


A EscolaBR já está disponibilizando um espaço para conferências on-line, baixe já o link em seu micro e participe destas atividades colaborativas. Agende um horário no site para compartilhar suas pesquisas.

05 outubro 2006

Imagens de satélite

Veja Telêmaco Borba, pelas imagens de satélite, uma ótima forma de estudar a cidade, o meio ambiente e a geografia da região.

O software utilizado é o WikiMapia, do Google.